Conferimos uma apresentação do jogo, que se inspira em personalidades reais para sua campanha

Tayná GarciaPublicado porTayná Garcia

Call of Duty: Vanguard é o próximo jogo da franquia de FPS, desenvolvido pela Sledgehammer Games, responsável por Modern Warfare 3Advanced Warfare e WWII. E que já tem um lançamento batendo na porta: 5 de novembro.

O game será ambientado na Segunda Guerra Mundial e se passará na França, contando com uma campanha single-player, modo multiplayer, zumbis e até integração com Warzone.

Para entender melhor o que vem por aí, tivemos a oportunidade de conferir uma apresentação do estúdio, que explicou tudo que os fãs já podem esperar.

Uma guerra mais realista

O objetivo de Vanguard é entregar uma experiência que mostre uma “faceta moderna, mas ainda fiel” da 2ª Guerra. Para isso, os desenvolvedores explicam que a história da campanha tem como principal inspiração acontecimentos e personalidades da vida real.

A história é focada em uma equipe de elite, composta por quatro soldados americanos, que está encarregada de roubar um plano secreto da Gestapo sobre um possível sucessor de Hitler. O jogador controla o quarteto, revezando entre as histórias deles, que são interligadas pelo mesmo objetivo.

Os personagens principais são baseados em pessoas que realmente existiram. A atiradora Polina, por exemplo, foi inspirada na soviética Lyudmila Pavlichenko, considerada a franco-atiradora mais letal da história. E o vilão da trama, Freisinger, faz referência ao líder da Gestapo durante o Holocausto, Heinrich Müller.

Arthur, o líder do grupo, é baseado em Sidney Cornell, o primeiro paraquedista militar negro a pousar em Normandia no Dia D

Já em termos de jogabilidade, Vanguard promete manter as mecânicas básicas da franquia, mas novidades ainda estão para serem reveladas. O que o estúdio já adiantou é que o jogo aposta muito em realismo, prezando por uma qualidade gráfica maior durante o gameplay.

Um pouco disso foi mostrado na prática em um trecho do game revelado durante a apresentação, que se focou em uma sequência de um soldado sozinho em um campo de batalha destruído, precisando se esgueirar pelas sombras para escapar e matar os nazistas.

Foi possível perceber um cuidado extra em detalhes do ambiente: a forma que o personagem recarrega e manuseia a arma (retirando e colocando cada cartucho, por exemplo), as faíscas de fogo que sobem junto das fumaças e os movimentos mais naturais dos inimigos.

A equipe explicou que se preocupou em aperfeiçoamentos do tipo, como estudar os formatos de fumaça e fogo e capturar sons de aviões de verdade para intensificar a imersão da experiência.

A iluminação é outro detalhe que foi criado com cuidado: muitos ambientes são escuros e iluminados apenas por focos de incêndio

Outra característica que Vanguard aposta para se diferenciar de seus antecessores é a trilha sonora, criada por Bear McCreary, compositor de God of War (de 2018) e das séries The Walking Dead e Outlander.

A trilha foi gravada por uma orquestra e, segundo o compositor, o estilo de cada música altera conforme muda o protagonista, com a intenção de refletir a personalidade de cada um.

Multiplayer, zumbis e mais

O modo multiplayer terá 20 mapas no lançamento — ambientados em vários países que participaram da 2ª Guerra –, três classes táticas e um modo inédito baseado na campanha, mas que será revelado só no futuro.

Haverá ainda o retorno do modo Zombies, que está sendo desenvolvido pela Treyarch, e servirá como um prólogo da história dos zumbis de Call of Duty: Black Ops Cold War — sendo o primeiro crossover entre títulos da franquia.

Além disso, Vanguard terá uma integração com o gratuito Call of Duty: Warzone que, apesar de ainda não estar tão claro, promete conteúdo compartilhado (como mapas) entre os dois games.

Potencial para uma jornada épica

Vanguard tem potencial para entregar o que Call of Duty: WWII não conseguiu em 2017: uma jornada impactante com várias facetas de uma mesma história.

Com a promessa dos desenvolvedores de continuar a história da equipe de elite após o lançamento, o jogo parece oferecer conteúdo o suficiente — pelo menos, em teoria — para oferecer múltiplas experiências aos jogadores e agradar todos os estilos dos fãs da série.

Mas ainda temos que esperar para ver o quanto Vanguard conseguirá se diferenciar dos outros Call of Duty na prática.


Para mais informações, acesse o site oficial: https://jovemnerd.com.br/nerdbunker/focado-em-realismo-call-of-duty-vanguard-e-ambientado-na-2a-guerra-e-chega-em-novembro/