Tayná Cá Arfer Tuxá ou Tayná Chayenne é indígena do povo Tuxá, da Aldeia-mãe, localizada na Bahia, nordeste do Brasil. A jovem de 14 anos, decidiu compartilhar algumas escritas de resistência de sua autoria desde o seu pertencimento ao povo Tuxá, um dos 305 povos originários que habitam o território nacional. Para isso criou o podcast Tuxá Toidé na rede social Instagram onde inaugurou com o poema Toidé dzene tsoro radda nuñe, que foi compartilhado pela Articulação dos Povos Indígenas (APIB), pois dialoga com o momento presente ao fazer resistência aos projetos de exploração que atacam os direitos indígenas, como a PL 490/2007.

História e língua do povo Tuxá (Bahia, Nordeste do Brasil) O povo Tuxá, segundo o Instituto Socioambiental (ISA), vive principalmente na cidade de Rodelas, uma aldeia urbana com mais de 60 casas. Ocupavam diversas ilhas, sobretudo a Ilha da Viúva, no Rio São Francisco, que foi submersa pela construção da hidrelétrica de Itaparica, projeto desenvolvido pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco-CHESF, afogando o território ancestral do povo, o D'zorobabé.

Por conta disso, os Tuxá foram transferidos para três áreas: um grupo vivendo nos limites dos municípios de Ibotirama (Área Indígena Tuxá de Ibotirama), outro no município de Rodelas (Áreas Indígenas Tuxá de Rodelas e Nova Rodelas), ambos no estado da Bahia, e outro à margem direita do rio Moxotó, junto aos limites do município pernambucano de Inajá, onde se situa a Terra Indígena Tuxá da Fazenda Funil. O poema da Tayná tem como título Toidé dzene tsoro radda nuñe, que na língua materna dzubukuá traduz-se como "Resistir para existir terra protegida".

A língua materna ainda é negada em buscas comuns na internet. Porém, já é possível vislumbrar pesquisas que reiteram sua presença enquanto língua em revitalização e trabalhada na educação escolar do povo, como a tese do pesquisador Leandro Durazzo, que estudou os processos históricos e socioculturais da língua, reiterando assim a existência do dzubukuá à família Kariri e tronco Macrô-Jê. Interesse manifesto dos próprios professores Tuxá, a tese colabora para o reconhecimento da diversidade plurilinguística indígena no país.Nesse link você conhece o material publicado: https://www.academia.edu/42286354/Cosmopol%C3%ADticas_Tux%C3%A1_conhecimentos_ritual_e_educa%C3%A7%C3%A3o_a_partir_da_autodemarca%C3%A7%C3%A3o_de_Dzorobab%C3%A9


Site oficial: https://www.uol.com.br/ecoa/colunas/julie-dorrico/2021/07/14/tuxa-toide-conheca-o-podcast-de-tayna-ca-arfer-tuxa.htm